Grupos apresentaram temas sociais e culturais relevantes em noite de eliminatória

O Centro de Criatividade, no bairro Getúlio Vargas, Aracaju, transformou-se num mosaico de referências culturais nordestinas, ao reunir grupos de quadrilha que contaram histórias de fé, esperança, lendas e costumes populares, por meio da dança, no concurso de quadrilhas ‘Arraiá Arranca Unha’. A competição integra o cronograma dos festejos juninos do estado, promovido pelo Governo de Sergipe, por intermédio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap), e tem por objetivo promover a celebração de identidade cultural do Nordeste e enfatizar a importância da preservação e divulgação das manifestações culturais populares brasileiras. Durante a segunda noite de eliminatórias, no domingo, 4, a competição contagiou o público presente.

Cinco grupos de quadrilheiros disputaram as duas vagas da grande final: Festa na Roça, Poeirinha do Sertão, Flor do Sertão, Balanço do Nordeste e Unidos em Asa Branca. Elas tiveram o tempo limite de 30 minutos para encantar os jurados e conquistar o público. Cada quadrilha utilizou narrativas, coreografias e figurinos detalhados, enaltecendo a cultura regional. Beatriz Cardoso é pernambucana e acompanha pela segunda vez a competição. Ela destacou que a diversidade dos enredos apresentados a impressionou. “É muito bom ver a riqueza do nosso Nordeste. As histórias contadas por meio da dança me deixaram sem palavras. Dá para ver o capricho de todos os grupos nos mínimos detalhes”, comenta.

Dona Sandra, de 71 anos, disse que os trajes típicos das quadrilhas tocou especialmente o seu coração, por ela ser costureira. “Faço vestidos e roupas de quadrilha para os meus meus netos e para os amigos deles, assim como fazia para meus filhos. A primeira coisa que chama minha atenção é o cuidado nas roupas e este ano todos estão de parabéns”, afirma.

Com destaque à fé e religiosidade, por meio dos santos juninos, a apresentação do grupo Balanço do Nordeste conquistou o primeiro lugar na eliminatória e uma das vaga para a final. “Foi uma apresentação marcante, cheia de emoções, e, sem dúvidas, uma das melhores que fizemos. Estar na final é muito bom, pois passamos por momentos muito difíceis, mas a força e alegria do grupo fez com que chegássemos a este resultado. Esperem mais um grande show na final do Arranca Unha”, declara Lucas Soares, marcador do grupo. A Unidos em Asa Branca se apresentou com o tema ‘Mubika – Livre para Amar’ e destacou a luta contra a opressão, silenciamento e o sonho de liberdade. Ela também foi classificada para a final.